11 de fevereiro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Filme: "The Post: A Guerra Secreta (2017)"

"A imprensa serve aos governados, não aos governantes."

"The Post" é um ótimo drama histórico do diretor Steven Spielberg. O roteiro foi escrito por Liz Hannah e John Singer, sendo baseado no vazamento dos Pentagon Papers e sua publicação pelo jornal The Washington Post no inicio da década de 70.

Lançado em 2017, o filme recebeu indicação ao Oscar nas categorias de Melhor Filme e Melhor Atriz. No Globo de Ouro foi indicado como Melhor Filme - Drama, Melhor Atriz de Filme - Drama, Melhor Diretor, Melhor Roteiro de Filme, Melhor Ator de Filme Drama e Melhor Trilha Sonora para Filme. Também recebeu indicações no Critics' Choice Awards em diversas categorias.

Conhecemos Kat Graham (Meryl Streep), proprietária do The Washington Post, um jornal local que está prestes a lançar suas ações na Bolsa de Valores de forma a se capitalizar e, consequentemente, ganhar impulso financeiro.
O editor-chefe do jornal é Ben Bradlee (Tom Hanks), que está sempre em busca de alguma grande notícia que possa fazer com que o jornal ganhe reconhecimento no sempre acirrado mercado jornalístico. Eis que chega a tão sonhada oportunidade...
Após anos de falsas notícias sobre os objetivos da guerra, a realidade veio à tona nas mãos de Daniel Ellsberg (Matthew Rhys), funcionário do Departamento de Defesa que pregava o fim da guerra, e encontrou nos documentos uma chance. Então o The New York Times publicava, no dia 13 de junho de 1971, os estudos de Robert McNamara (Bruce Greenwood) , ex-secretário de defesa norte-americano. Foi a primeira de muitas matérias envolvendo os chamados "Papéis do Pentágono".
O vazamento das informações acabou comprometendo presidentes anteriores a Nixon, como John Kennedy, Lindon Johnson e Eisenhower, criando constrangimento nos envolvidos e furor em meio à população. Ao tentar proibir a publicação, o presidente Nixon deu início a queda de sua popularidade. Levando o então presidente dos Estados Unidos a renunciar a presidência em 9 de agosto de 1974.
A proibição foi concedida por um juiz, o que faz com que os documentos cheguem às mãos de Bradlee e sua equipe, que precisa agora convencer Kat e os demais responsáveis pelo The Post sobre a importância da publicação de forma a defender a liberdade de imprensa.
Apesar das possíveis consequências, Kat decide arcar com a responsabilidade e ordena a publicação do conteúdo. Sua atitude serve de exemplo para outros jornais, que assim como ela, divulgam todas as revelações que tinham sobre o estudo.
"The Post: A Guerra Secreta" é um filme interessantíssimo sobre a liberdade de imprensa nos anos 70, onde o governo ainda exercia total influência no conteúdo de jornais. Durante as minhas pesquisas para escrever esta postagem me deparei com diversos comentários em sites de filmes [Filmow por exemplo] se referindo a este filme como: chato, cansativo, lento, etc..., concordo que o filme não é para todos os públicos, no entanto, não tem nada de chato, pelo contrário, retrata um episódio específico na história, mostrando o poder que uma simples matéria pode ter na sociedade. Eu desconhecia os fatos abordados no filme, portanto, achei extremamente válido e merecedor da indicação ao Oscar de Melhor Filme.
Todos os aplausos para Meryl Streep, a atriz que já tem 20 indicações ao Oscar em sua carreira, faturando 3 estatuetas douradas, está divina em seu papel, ela desenvolveu Kay Graham com intensidade e maturidade, uma mulher a frente do seu tempo que desafiou o alto escalão da Casa Branca e contribuiu para que o mundo soubesse da verdade.
Tom Hanks também está ótimo no papel do editor-chefe, mostrando competência e determinação, quesitos essenciais a todo jornalista. E, "The Post: A Guerra Secreta" nos proporciona ver pela primeira vez Streep e Hanks atuando juntos. Os diálogos entre eles são memoráveis.
"The Post: A Guerra Secreta" se passa na década de 70, porém, retrata bem o atual momento que que a nação norte-americana está vivendo. Também nos faz lembrar de que a imprensa é livre e tem o dever de cumprir o seu papel essencial que é o de "servir aos governados e não aos governadores ". E viva a liberdade de imprensa! 
Mais detalhes do filme na página do IMDb

Duração: 116 minutos
Categorias: Histórico, Drama, Biografia, Suspense
Classificação: 12 anos
Minha Nota: 9,2

Nenhum comentário:

Coleção Filmes de Domínio Público